crítica

A escrita no invisível [Como um carrossel]

Como um carrossel

Como um carrossel. Encenação e cenografia: Isabel Barros. Texto: João Paulo Seara Cardoso. Marionetas e animação: João Apolinário e Francisco Magalhães. Música: Carlos Guedes Desenho de luz: Filipe Azevedo. Adaptação para língua gestual portuguesa: Joana Cottin. Interpretação: Micaela Soares e Vítor Gomes. Produção: Sofia Carvalho. Design gráfico e assistência de produção: Pedro Ramos. Operação de luz e som: Filipe Azevedo. Técnicos de construção: João Pedro Trindade e Rosário Matos. Confeção de figurinos: Cláudia Ribeiro e Marlene Rodrigues. Cabeleireira Cristina Soares. Fotografias: Susana Neves. Co-produção: Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery. Estrutura Financiada por: República Portuguesa – Ministério da Cultura / DGArtes.

Teatro Taborda, 25 de maio de 2017

FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

A companhia Teatro de Marionetas do Porto trouxe ao FIMFA um espetáculo infantil que ilustra a metáfora de que “a vida é como um carrossel à volta do sol”. O espetáculo que agora nos apresentam é uma nova versão sobre uma criação anterior de João Paulo Seara Cardoso intitulada Como um carrossel à volta do sol, apresentada em 2006. Algumas das alterações trazidas são a introdução de momentos em linguagem gestual portuguesa, a mudança de género da personagem principal e a reescrita do texto.

Continuar a ler

Anúncios
Standard
crítica

Cinzas e demónios [Cendres]

Cinzas

Cendres. Inspirado no romance Before I Burn, de Gaute Heivoll. Encenação: Yngvild Aspeli. Concepção: Yngvild Aspeli, em colaboração com Pierre Tual e Amador Artiga. Actores-manipuladores: Viktor Lukawski, Alice Chéné, Andreu Martinez Costa. Colaboração na encenação: Paola Rizza. Aconselhamento dramatúrgico: Pauline Thimonnier. Marionetas: Polina Borisova, Sebastian Puech, Yngvild Aspeli, Carole Allemand, Sophie Coëffic. Cenografia: Charlotte Maurel, Gunhild Mathea Olaussen. Figurinos: Sylvia Denais. Universo sonoro: Guro Moe Skumsnes, Ane-Marthe Sørlie Holen. Vídeo: David Lejard-Ruffet. Luz e direcção técnica: Xavier Lescat. Olhar exterior: Philippe Genty, Mary Underwood. Direcção de produção: Claire Costa. Fotografias: Claire Leroux, Fanchon BilBille, Kristin Aafløy Opdan. Co-produção: Cie Philippe Genty (França), Figurteatret i Nordland (Noruega) Apoios: MCNN – Centre de Création et de Production (França), Le Mouffetard – Théâtre des arts de la marionette a Paris (França), Théâtre du fil de l’eau, Pantin; Théâtre de la Girandole, Montreuil; La Nef Manufacture d’utopies, Pantin; Direction des Affaires Culturelles – DRAC Bourgogne (França); Nord Trondelag Teater; Norsk Kulturrad; Norlands Fylkeskommune; Fritt Ord; Fond For Lyd og Bilde, FFUK (Noruega). Técnica: Teatro visual, marionetas e vídeo. Apoio à apresentação: Institut Français du Portugal, em parceria com o Institut Français em Paris, no âmbito do foco sobre a criação contemporânea francesa em 2017.

Teatro Maria Matos, 20 de maio de 2017

FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

O espetáculo Cendres (Cinzas), da companhia franco-norueguesa Plexus Polaire, dirigido pela encenadora Yngvild Aspeli, é uma sucessão de imagens fortes, bonitas, delicadas e assustadoras que se apresentam em diferentes níveis e suportes: o de um escritor, representado por um ator, que cria a narrativa, e um outro em que a história de Dag, que, em 1978, pegou fogo à aldeia de Finsland, na Noruega, é contada através de marionetas.

Continuar a ler

Standard
crítica

A alegre biografia de um psicopata [Barba Azul]

barba-azul-1

 

Barba Azul. Encenação e texto: Rui Queiroz de Matos. Cenografia: Rui Queiroz de Matos, Filipe Azevedo. Marionetas e Ilustração: Júlio Vanzeler. Música: Pedro Cardoso. Figurinos: Patrícia Valente. Desenho de Luz: Filipe Azevedo. Vídeo design e Vídeo mapping: Ivo Reis. Interpretação: Micaela Soares, Rui Queiroz de Matos, Vasco Temudo. Produção: Sofia Carvalho. Design gráfico e assistência de produção: Pedro Ramos. Operação de luz, vídeo e som: Filipe Azevedo. Técnicos de construção: Rosário Matos e Ana Pinto. Confecção de figurinos: Carla Pereira. Fotografias: Susana Neves. Co-produção: Teatro de Marionetas do Porto e Teatro Municipal do Porto. Técnica: Manipulação à vista. Idioma: Português. Público-alvo: +6. Duração: 50 min.

FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

Teatro Taborda, 7 de Maio de 2016

O espectáculo Barba Azul, do Teatro de Marionetas do Porto, é uma versão alternativa e adoçada do conto homónimo de Charles Perrault, publicado pela primeira vez em 1697.

Continuar a ler

Standard